quarta-feira, 19 de julho de 2017

A noite


Pôr do sol. Tire os sapatos. Suspire fundo.

O dia acabou. Prepare um drinque. Coloque um som. Encontre um lugar confortável. O som ambiente. A ausência da luz. Acenda um cigarro. Uma faísca para perfurar a escuridão. Observe a vista da sacada do apartamento. A primeira estrela surge no céu. As outras logo a seguirão.

Que tipo de dia foi hoje?

***

O que está acontecendo comigo? Quando foi que os dias se tornaram tão longos? Mas esta vida é tão curta! Prepare outro drinque. Tome outro suspiro. Relembre como tudo começou. Como chegou até aqui. Amanhã é outro dia...

Outra coisa? Outra vida.

De onde veio aquela estrela? Para onde ela vai? Para onde você vai? Por que a música parou? Acabou o CD. Mais uma vez.

Um dia você também vai parar. Haverá outra vez? Não sei dizer. Não pense nisso. Não pense em nada. Por que não fecha os olhos? O amanhã não pode esperar?

Por onde você anda, meu bem?

***

Chega disso tudo. Não toque nessa garrafa. Não acenda outro cigarro. Não olhe para cima. Há algo no céu? Está tudo escuro. Quer dizer, estava.

Há algo no horizonte. Algo que já vi antes. Não estou preparado para isso. Mas não depende de você. E as olheiras serão sua herança.

***

Nascer do sol. Coloque os sapatos. Suspire fundo. Não existe mais amanhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário